Triagem tripla: valores e como interpretar os resultados

Triagem tripla: valores e como interpretar os resultados

Olá, leitoras e leitores! Meu nome é , sou mãe de duas crianças e, como vocês, estou sempre em busca de informações e dicas sobre a maternidade. Por isso, hoje atuarei como uma redatora de blog sobre tudo o que envolve mães, bebês, crianças e gravidez em primeira pessoa.

Sabemos que quando alguém da família anuncia uma gravidez, todo mundo espera e quer que tudo ocorra bem, sem complicações e da melhor maneira possível. Tanto a saúde da futura mãe quanto a do bebê são muito importantes, por isso, ao longo da gestação, existem vários exames médicos que são realizados para garantir que tudo está caminhando bem.

Entre esses exames, destacamos a triagem tripla, também conhecida como teste triplo ou triagem pré-natal, que é fundamental para o acompanhamento da saúde do bebê e da mãe durante a gravidez. Neste artigo, iremos falar sobre os valores e como interpretar os resultados desse exame tão importante.

Antes de entrarmos nos detalhes sobre a triagem tripla, é importante explicar o que é e qual a sua importância na gestação.

índice

O que é a triagem tripla?

A triagem tripla é um exame de sangue que é realizado entre a 14ª e a 20ª semana de gestação e tem como objetivo avaliar a possibilidade de o bebê apresentar alguma anomalia cromossômica, como a Síndrome de Down, a Síndrome de Edwards e a Síndrome de Patau.

Como o exame é feito?

Para realizar a triagem tripla, é necessário coletar uma amostra de sangue da mãe e, a partir desse sangue, são analisados três marcadores: o hormônio gonadotrofina coriônica humana (hCG), a alfa-fetoproteína (AFP) e o estriol livre (uE3).

Para que serve cada um desses marcadores?

- O hCG é produzido pela placenta e sua presença em níveis elevados no sangue pode indicar a possibilidade de o bebê apresentar alguma anomalia cromossômica.
- A AFP é produzida pelo fígado do bebê e sua ausência ou níveis baixos no sangue da mãe podem indicar a presença de anomalias no desenvolvimento do feto.
- O uE3 é produzido pelo feto e seu nível no sangue da mãe pode indicar a presença de alguma anomalia cromossômica.

Como interpretar os resultados?

Os resultados da triagem tripla são expressos em forma de risco, geralmente em porcentagem. É importante ressaltar que esse exame não é um diagnóstico, mas sim um indicativo de que o bebê pode apresentar alguma anomalia cromossômica.

Como interpretar os valores de risco?

- Risco abaixo de 1:2000 - considerado baixo e não indica a presença de anomalias cromossômicas no bebê.
- Risco entre 1:2000 e 1:500 - considerado intermediário e pode indicar a necessidade de realizar outros exames para confirmar ou descartar a presença de alguma anomalia.
- Risco acima de 1:500 - considerado alto e pode indicar a presença de alguma anomalia cromossômica no bebê.

O que fazer em caso de risco alto?

Se o resultado da triagem tripla indicar um risco alto, é importante conversar com o médico obstetra para que ele indique quais são os próximos passos. Geralmente, é recomendado a realização de outros exames, como a amniocentese ou a biópsia do vilo corial, para confirmar ou descartar a presença de alguma anomalia cromossômica no bebê.

Curiosidades sobre a triagem tripla

Agora que já explicamos o que é a triagem tripla e como interpretar os resultados, vamos compartilhar algumas curiosidades sobre esse exame que pode gerar dúvidas e ansiedade nos futuros pais.

1. A triagem tripla não é obrigatória

Apesar de ser um exame importante, a triagem tripla não é obrigatória. Alguns médicos podem optar por não realizar esse exame, principalmente quando a gestante é jovem e não apresenta nenhum fator de risco para anomalias cromossômicas.

2. O resultado do exame pode variar de acordo com a idade da gestante

É comum que mulheres mais velhas apresentem um risco maior de terem filhos com anomalias cromossômicas. Por isso, o resultado da triagem tripla pode ser diferente para gestantes de diferentes idades, mesmo que estejam no mesmo estágio da gravidez.

3. A triagem tripla pode ser realizada em qualquer laboratório

Não existe um laboratório específico para realizar a triagem tripla. Esse exame pode ser feito em qualquer laboratório de análises clínicas, desde que esteja devidamente credenciado e siga as normas de qualidade e segurança estabelecidas pelos órgãos competentes.

4. O teste é gratuito no SUS

As gestantes que realizam o pré-natal pelo Sistema Único de Saúde (SUS) têm direito a realizar a triagem tripla de forma gratuita. Basta apresentar o cartão do pré-natal e o pedido médico no laboratório credenciado.

5. A triagem tripla não é um exame invasivo

Diferente da amniocentese e da biópsia do vilo corial, que são exames invasivos e podem trazer riscos para a gestação, a triagem tripla é um exame de sangue simples e não apresenta nenhum risco para a mãe e para o bebê.

Dicas para ter um resultado mais preciso

Embora a triagem tripla seja um exame confiável, é importante seguir algumas dicas para garantir um resultado mais preciso e evitar falsos positivos ou falsos negativos.

1. Realize o exame no período correto

A triagem tripla deve ser realizada entre a 14ª e a 20ª semana de gestação, pois nesse período os valores dos marcadores analisados estão mais estáveis, garantindo um resultado mais preciso.

2. Não faça o exame em caso de sangramento

Se a gestante estiver com algum sangramento vaginal, é recomendado adiar a realização da triagem tripla, pois o resultado pode ser afetado e se tornar inconclusivo.

3. Informe ao laboratório caso esteja tomando medicamentos

Alguns medicamentos podem alterar os valores dos marcadores analisados na triagem tripla, por isso, é importante informar ao laboratório caso esteja fazendo uso de algum medicamento.

4. Não realize o exame em caso de resfriado ou infecções

Se a gestante estiver com algum quadro de resfriado ou infecção, é recomendado adiar a realização da triagem tripla, pois esses fatores podem afetar o resultado do exame.

5. Faça o exame com tranquilidade

É normal que a triagem tripla gere ansiedade nos futuros pais, mas é importante realizar o exame com tranquilidade e seguir as orientações médicas. Lembre-se que esse exame é apenas um indicativo e que existem outros exames que podem confirmar ou descartar a presença de alguma anomalia cromossômica no bebê.

Conclusão

A triagem tripla é um exame importante e fundamental para o acompanhamento da saúde do bebê e da mãe durante a gestação. É importante seguir todas as recomendações médicas e realizar o exame no período correto para garantir um resultado mais preciso.

Espero que este artigo tenha esclarecido suas dúvidas sobre a triagem tripla e que tenha sido útil para você. Não deixe de compartilhar com outras mães e futuras mães que possam se interessar pelo assunto.

E você, já fez a triagem tripla? Compartilhe sua experiência nos comentários! Até a próxima!

Receitas relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tu valoración: Útil

Go up